Sessão solene lembra os 70 anos da Paróquia Nossa Senhora dos Navegantes

Homenagem foi realizada pela Câmara Municipal de Vereadores de Pinhal

Na noite de quarta-feira 14 de novembro, a Câmara Municipal de Vereadores de Pinhal realizou uma sessão solene em homenagem aos setenta anos da Paróquia nossa senhora dos navegantes, com sede em Rodeio Bonito, que atende também os municípios de Pinhal e Cristal do Sul.

A homenagem surgiu a partir de uma moção de aplauso que os vereadores enviaram a entidade, tendo como proponente o presidente da casa, Antônio Loureiro Frighetto.

Durante a sessão solene, os líderes de bancada do Legislativo Pinhalense lembraram em seus pronunciamentos a criação da Paróquia e toda a caminhada desenvolvida até o momento, enaltecendo a contribuição dos religiosos e leigos na construção desta história.

O prefeito de Pinhal, Edmilson Pedro Pelizari, também esteve presente na solenidade e destacou a importância da fé e da religião como alicerce para as famílias e a comunidade. O pároco Paulo Kempka, representou a entidade homenageada no ato e agradeceu o reconhecimento.

Segundo o religioso é muito importante este resgate do passado e da história, porém também existe a necessidade da Igreja se reinventar a cada dia para se manter próximo aos fiéis.

Representantes de comunidades pertencentes a Paróquia, dos municípios de Pinhal, Rodeio Bonito e Cristal do Sul também acompanharam a homenagem no plenário da Câmara Municipal de Vereadores.

Resgate histórico

Segundo os registros históricos, a primeira igreja, ainda bem pequenina, foi construída em Rodeio Bonito em 1929, medindo 6 x 4, quem rezou a primeira missa foi o padre Luiz Quatropani, em maio de 1930.

A criação da Paróquia Nossa Senhora dos Navegantes aconteceu em 1948, abrangendo a área que hoje pertence aos municípios de Rodeio Bonito, Pinhal, Cristal do Sul, Liberato Salzano, Cerro Grande, Novo Tiradentes, Ametista do Sul, Planalto, Iraí e partes de Jaboticaba.

Na época, estes eram territórios que pertenciam aos municípios de Palmeira das Missões e Iraí e que posteriormente viriam reivindicar as suas emancipações, inclusive Rodeio Bonito. A escolha pela protetora dos navegantes, se deve a atividade intensa dos balseiros, que na época, através dos rios, efetuavam o transporte das madeiras extraídas da região.

Fonte: Edevaldo Stacke/Ascom Câmara Pinhal

Imagens

Compartilhe